Disfunção erétil e a obesidade

Todos nós sabemos que a disfunção erétil e a quantidade de gordura no corpo de um homem estão quase sempre relacionados, certo?

Pois bem, no artigo de hoje vamos falar exatamente desse problema e de como você pode tentar resolvê-lo. Está pronto?

Disfunção erétil

Embora homens com disfunção erétil (DE) frequentemente culpem a testosterona, os distúrbios hormonais respondem por apenas 3% da DE.

Mas mesmo com os níveis normais de testosterona, os homens que são obesos têm um risco aumentado de disfunção erétil.

Por exemplo, um estudo de Harvard descobriu que um homem com uma cintura de 42 cm é duas vezes mais propenso a desenvolver o problema que um homem com uma cintura de 32 cm.

A pesquisa brasileira também vinculou a obesidade abdominal à disfunção erétil, mas apenas em homens com mais de 60 anos.

Um estudo da Califórnia relatou que ter um IMC de 28 (excesso de peso, mas não obeso) aumentou as chances de desenvolvimento de DE em mais de 90%.

Estabelecer um link é uma coisa; encontrar uma maneira de melhorar a função erétil, outra.

Mas um estudo de Massachusetts descobriu que a perda de peso pode realmente melhorar as coisas para homens com excesso de peso com Disfunção Erétil.

Resultados semelhantes foram relatados por cientistas italianos que distribuíram aleatoriamente 110 homens obesos com disfunção erétil para um programa de dieta e exercícios ou simplesmente para continuar seus cuidados habituais.

Após dois anos, mais de 30% dos homens no grupo de dieta e exercício tinham corrigido sua DE sem medicação, em comparação com menos de 6% no grupo que recebeu seu nível usual de atendimento médico.

Os homens que perderam mais peso desfrutaram do maior benefício na hora de fazer sexo.

Uma dica é consultar o AZ 21 Preço.

Função reprodutiva

A obesidade afeta a sexualidade e também pode prejudicar a fertilidade.

A pesquisa americana ligou a obesidade a baixas contagens de espermatozoides e reduziu a motilidade dos espermatozoides;

Cientistas alemães relataram descobertas similares em homens entre 20 e 30 anos.

Pedras nos rins

As pedras nos rins podem causar grande dor psicológica para os homens e seus parceiros.

Os cálculos renais são muito menos pessoais, mas causam muito mais dor física.

As pedras atingem os homens duas vezes mais que as mulheres, e a obesidade aumenta o risco de um homem.

Um estudo de Harvard com 45.988 homens com idades entre 40 e 75 anos descobriu que altos IMCs e grandes circunferências da cintura estão ambos ligados a um aumento do risco de cálculos renais.

Os homens que ganham mais de 95 quilos após os 21 anos têm 39% mais chances de desenvolver cálculos do que os homens que permanecem magros.

Os homens que pesam mais de 130kg são 44% mais propensos a ter pedras do que os homens que pesam menos de 80kg.

Esses resultados americanos não explicam o motivo da ligação, mas pesquisas na Europa e na Ásia mostram que pessoas com excesso de peso depositam quantidades excessivas de cálcio e outros produtos químicos em sua urina, onde os produtos químicos formam pedras.

Por que perder peso?

Na América de hoje, o excesso de peso é a normal – mas não é normal.

Na verdade, esse problema comum é uma das coisas que tornam o diabetes, a pressão alta, o derrame, o ataque cardíaco e a artrite tão comuns.

E se isso não for suficiente, também aumenta o risco de doenças masculinas, que vão desde disfunção erétil a HBP e câncer de próstata.

É difícil perder o excesso de peso, mas é possível. Não há solução rápida, mas há uma correção lenta: ajuste sua dieta para ingerir menos calorias e aumentar o exercício para queimar mais calorias.

É a coisa masculina a fazer, e a hora de começar é agora. Quando se trata de melhorar sua saúde, não peso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *