O que comemos pode afetar a nossa saúde mental?

O que você come pode afetar muito a sua saúde e disso você já deve saber. Mas será que o que comemos também pode afetar a nossa saúde mental?

Embora ainda seja um campo novo de pesquisa científica, a psiquiatria nutricional tem mostrado que a dieta de alguém pode ter um grande impacto na sua saúde mental. Uma das principais conclusões das pesquisas nessa área é que dietas saudáveis se relacionam com uma menor chance de desenvolver depressão.

Ao mesmo tempo, dietas pouco saudáveis, como as que envolvem comidas processadas, aumentam o risco de desenvolver depressão. Por exemplo, existem evidências de que aderir a um estilo de vida Mediterrâneo e fazer dieta sem glúten diminuem as chances de alguém apresentar sintomas depressivos.

Alimentação pode afetar sua saúde mental

Pra chegar a essa conclusão, um grupo de cientistas observou 11.800 pessoas durante cerca de 8 anos. Os cientistas avaliaram o quanto essas pessoas aderiam ao estilo de vida Mediterrâneo e qual era o impacto disso na saúde mental delas.

Esse estilo de vida inclui a adoção da famosa dieta Mediterrânea, uma dieta composta por coisas como frutas, peixes, sementes, vegetais, castanhas e azeite.

Ou seja, coisas bem saudáveis. Já existem várias pesquisas indicando que esse tipo de dieta previne doenças cardiovasculares e câncer. Mas o estilo de vida Mediterrâneo também inclui outras coisas além da dieta, como atividades físicas regulares e interação frequente com outras pessoas.

Dentre as 11.800 pessoas acompanhadas pelos cientistas, aquelas que aderiam bastante ao estilo de vida Mediterrâneo tinham uma chance bem menor de desenvolver depressão do que as pessoas que aderiam pouco a esse estilo. Outra pesquisa investigou o efeito de consumir micronutrientes, como vitaminas e minerais, na insônia e saúde mental.

As pessoas que participaram dessa pesquisa tinham insônia crônica. Os cientistas pediram pra elas tomarem algumas vezes por dia um suplemento alimentar de vitaminas e minerais durante 8 semanas. O resultado foi que essas pessoas mostraram uma grande diminuição nos sintomas de insônia, depressão, ansiedade e estresse.

Outro exemplo de como a nutrição pode afetar a saúde mental foi uma pesquisa avaliando o efeito da dieta em sintomas de TDAH, veja mais aqui. Os cientistas olharam para as dietas de crianças com TDAH e crianças sem TDAH tentando averiguar se certos aspectos da dieta afetavam as dificuldades psicológicas das crianças.

Eles estavam especialmente interessados no efeito dos ácidos graxos poliinsaturados ômega 3, já que estudos anteriores mostraram que essas substâncias podem melhorar as capacidades cognitivas e o controle emocional. Esses ácidos fazem parte dos ácidos graxos essenciais, um grupo de substâncias que o nosso corpo não consegue produzir naturalmente e que podemos obter comendo alimentos como certos peixes e sementes, como as de linhaça e de chia, por exemplo.

Os cientistas observaram que maiores níveis de sintomas de TDAH se relacionaram com menor consumo de ácidos graxos poliinsaturados ômega 3 e maior deficiência de ácidos graxos essenciais. Pode ser então que o maior consumo de alimentos contendo esse tipo de ácido graxo ajude no tratamento do TDAH, mas ainda não temos certeza se a deficiência desse tipo de ácido graxo é uma das causas ou consequências do TDAH. Receitas sem glúten também colaboram para uma saúde mental melhor.

Novas pesquisas talvez tragam melhores conclusões sobre isso. Em resumo, temos visto nos últimos anos que muitas características psicológicas podem ser consideravelmente impactadas pela nutrição que adotamos. Se quiser melhorar a sua alimentação, procure um nutricionista pra ver a melhor forma de fazer isso!

Nos ajude a fazer com que mais pessoas conheçam a importância da nutrição pra nossa saúde mental curtindo, compartilhando o nosso artigo e nos acompanhando aqui!

 

Como equilibrar os hormônios naturalmente

Todos nós sabemos que nossos hormônios tem um papel muito importante em nossa saúde, todos os processos do corpo, ou quase todos, dependem dos nossos hormônios. Nossos desequilíbrios hormonais podem ser causados por vários motivos e acontecem muito mais nas mulheres do que nos homens. Durante períodos como puberdade, menstruação, gravidez e menopausa as mulheres sentem na pele os sintomas desses desequilíbrios.

Além disso, fatores como a idade avançada, dieta pobre, muito ou pouco exercício, exaustão e estresse, falta de sono, pílulas anticoncepcionais, toxinas, comprar teston e produtos químicos como pesticidas contribuem para o desequilíbrio hormonal.

Com certeza você já deve ter sentindo muitos dos sintomas que são causados pelo desequilíbrio hormonal, são eles: aumento da irritação, humor oscilando, falta de sono, cansaço, excesso de peso, perda de cabelo, dores de cabeça, falta de vontade de fazer sexo, pele oleosa ou pele seca, espinhas e cravos, desejo de chocolate, TPM e muitos outros sintomas.

Estudos já provaram que os hormônios mexem com nosso metabolismo. As vezes causam mais fome, falta de energia e desejos. Todos esses sintomas podem ser sinal de que seus hormônios estão em desequilíbrio. Existem remédios caseiros e naturais que podem te ajudar a aliviar alguns desses sintomas e recuperar o equilibro emocional para viver bem. É importante também procurar um médico especializado e fazer alguns exames para tratar o problema de forma correta.

Como equilibrar os hormônios naturalmente

Confira abaixo os principais tratamentos caseiros para o desequilíbrio hormonal:

Omega-3

Omega 3

O ômega-3 é importantíssimo na produção e manutenção dos hormônios, os mantendo equilibrados. As gorduras do ômega-3 causam efeito profundo na saúde do ser humano. Devido às suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, gorduras ômega-3 também têm um efeito profundo sobre a sua saúde.  Você também pode tomar suplementos de ômega-3 após consulta ao seu médico. A dosagem geral é de 500 mg
por dia.

Raiz de Maca

Raiz de maca é um adaptador endócrino que aumenta a produção normal de hormônios.  Ela também ajuda a reverter o hipotireoidismo, aumentar a fertilidade e é benéfico para a libido. Sendo uma boa fonte de cálcio, potássio, magnésio, ferro, iodo, fósforo, zinco, ácidos graxos essenciais, proteínas, fibras e esteróis, é bom para a sua saúde geral e melhora a energia e a vitalidade. Misture ¼ colher de chá de pó de raiz de maca em uma xícara de água, suco, chá de ervas, vitamina ou iogurte. Consumi-lo diariamente, aumentando gradualmente a quantidade da raiz de maca até 1 ou 2 colheres de chá durante algumas semanas. Continue pelo menos por alguns meses, maca peruana anvisa.

Agnus Castus

Agnus castus, também chamado de vitex, estimula a glândula pituitária, regulando assim o equilíbrio de estrogênio e progesterona. Agnus castus é considerado excelente acabar com a TPM e diversos outros problemas de menstruação.Além disso regula a ovulação feminina.

O Vitex diminui os níveis de testosterona e previne várias doenças, dentre elas o câncer de próstata. Você só precisa tomar uma cápsula de 400 a 500 mg diariamente, por alguns meses. Consulte o seu médico para a dosagem adequada.

Vitamina D

Outra vitamina que produz uma variedade de hormônios é a vitamina B. Ela auxilia no alivio dos sintomas associados com baixos níveis de estrogênio. Também afeta o seu peso e apetite. A falta desta vitamina no organismo causa uma liberação anormal de hormônio para a tireoide. A poucos minutos de exposição ao sol diariamente pode ser de grande ajuda para o corpo para fazer vitamina D para manter seus hormônios. Você também pode comer alimentos como óleo de peixe, óleo de fígado de bacalhau, leite e ovos que são ricos em vitamina D.

Exercício

Começar a praticar uma atividade física, seja ela qual for, pode ajudar no equilíbrio hormonal. Fazer exercícios também baixa os níveis de cortisol.   Você sabia que o cortisol causa bloqueio do estrogênio e prejudica sua saúde geral?  A pratica regular de exercícios faz com que as substâncias químicas do cérebro auxiliem na melhora do humor. Isso é útil já que os desequilíbrios hormonais muitas vezes causam mudanças de humor. Além disso, ele também irá ajudá-lo a manter um peso saudável. Evite exercícios mais de 40 minutos, pois eles podem aumentar seus níveis de cortisol.

Vá nadar, caminhar, correr ou fazer outros exercícios leves por 20 a 30 minutos diários ou pelo menos algumas vezes por semana. Exercícios de ioga e relaxantes estimulam as suas funções hormonais e reduzem o stress. Procure fazê-los, são ótimas opções contra o desequilíbrio hormonal.

Óleo de coco

Esse é outro alimento natural que colabora para o equilibro dos hormônios. Serve para pessoas que tem problemas de hipotireoidismo O óleo de coco também estabiliza os níveis de açúcar no sangue, aumenta a imunidade, acelera o metabolismo e promove a perda de peso. Contrário à crença popular, não é mau para seu coração. Na verdade, ele pode proteger contra doenças cardíacas.

Consuma pelo menos duas colheres desse remédio caseiro natural diariamente durante pelo menos três meses. Ele pode ser usado nas suas refeições quentes, uma vez que não produz produtos químicos nocivos no aquecimento.

É necessário a troca no treino de hipertrofia?

Muito se fala em troca no treino de hipertrofia que varia de 3 ou de 2 em 2 meses,pois se não os músculos se acostumam e param de crescer,pois bem; nem sempre é necessária a troca.

O que acontece é que o corpo evolui e se adapta rapidamente a cada estímulo desafiador para o mesmo tornar aquela atividade ou exercício mais fácil; logo,quando o corpo se acostuma não tem mais porque evoluir,então veio essa ideia de trocar os treinos.

Claro que não quer dizer que não irei trocar nunca mais,mas tem que existir uma razão estratégica que justifique essa mudança,por exemplo;algum músculo que não esteja acompanhando o desenvolvimento geral do seu corpo;nesse caso valerá a pena montar uma estrutura nova onde se irá priorizar o músculo mais fraco;por exemplo,vamos imaginar que vai tudo bem com o seu treino de hipertrofia e depois de algum tempo você nota que o peitoral superior não está se desenvolvendo bem;nesse caso valerá a pena trocar o seu treino de peito pra dar um enfoque maior na porção superior,ou seja,incluir mais exercícios inclinados para que se trabalhe mais o peitoral superior.

Então a lógica é simples,para desafiar o seu corpo posso começar mexendo nos intervalos,fazer drop set,rest /pause,falha concêntrica e ter mais concentração; aumentando assim a intensidade e não somente trocar o treino só porque completaram os 3 meses.

Musculação é prestar atenção no corpo e oferecer ao mesmo o que faz falta e lapidar ao máximo o que você precisa. Quando falamos sobre mudança de treinamento inevitavelmente se cai no conceito chamado de periodização,que é mais do que simplesmente trocar os exercícios ou a divisão dos músculos na semana;é uma mudança mais profunda onde você troca o objetivo do treino de hipertrofia.

Hipertrofia muscular

Existem diversas formas de periodizar e com inúmeros objetivos diferentes;exemplo,se quero aumentar a força em virtude de algum esporte que pratico ou se quero melhorar uma aptidão física ,nesse caso irei direcionar o meu treinamento de hipertrofia para uma nova rota,saindo do objetivo principal de hipertrofia muscular e impondo o treino de força como prioridade,treinando com menos repetições e maiores cargas,fazendo esse novo estilo por um mês e só depois retornar com o foco no treino de hipertrofia por dois meses e voltar para o treino de força por mais um mês.

Com isso você periodiza,dando oportunidade de treinar uma capacidade especifica do corpo.O ideal também seria periodizar fases com intensidade mais extrema possível e depois vai para uma fase com intensidade moderada a baixa, seguida de uma dieta que acompanhe a intensidade de cada treinamento.Então é possível mexer na intensidade sem mexer no seu treino,fazendo com que na periodização seja possível descobrir o caminho mais eficiente pra você e o seu corpo,sabendo assim, se ele irá reagir melhor.Quem faz musculação e leva à sério sempre tem que está testando métodos,observar a resposta do corpo e aos poucos ir descobrindo o melhor caminho a ser traçado.

Concluindo, se você vem desenvolvendo o seu corpo de forma simétrica e vem buscando aumentar a intensidade e o esforço aplicado ao seu treinamento de hipertrofia,não há porque trocar os exercícios ou a divisão de músculos na semana só por trocar,mesmo que já se passaram vários meses. Agora se existe uma razão específica como foi mencionado aqui,algum músculo especificamente não está acompanhando o desenvolvimento geral do seu corpo ou quer melhorar a sua aptidão física,então é a hora de parar e repensar a melhor forma de melhorar o seu treinamento buscando aquele que atenda às suas necessidades;lembre se disso,musculação exige inteligência,não faça coisas só por fazer ou porque todo mundo faz,tem que fazer sentido e razão pra você e o seu corpo e não para os outros.

Saiba mais: https://twitter.com/machobr

Marombados com a perna fina: descubra o motivo

Você com certeza já viu um dos famosos “homens-sorvete” malhando em alguma academia por aí. São aqueles caras com tórax bem trabalhado e ombros largos, mas que tem pernas tão finas que fica até engraçado de ver, veja.

Alguns tem esta estrutura corpórea porque realmente focam demais em malhar a parte superior do corpo. Outros, por conta da própria genética. Mas há algo de tão ruim em ter pernas finas? Ou é apenas um preconceito estético?

A questão da genética nas pernas finas

Não dá pra fugir da genética ao falar de ganho e perda muscular, além da estrutura óssea e muscular de seu corpo. Suas pernas podem ser finas não porque não são musculosas. Maratonistas tem pernas finas, na grande maioria. Mas tem uma força descomunal nas pernas.

Existem também pessoas que tem pernas grossas sem esforço algum. Isto também é genética. Outras, começam a malhar e ganham muita massa nas pernas rapidamente, enquanto alguns precisam de anos para começar a ter um resultado de “engrossamento” das pernas.

Quer você queira, quer não: sua estrutura corporal e a genética são os fatores que mais influenciarão o “formato” de suas pernas.

A questão estética das pernas finas

As pernas finas para homens já passaram por épocas de fama e infâmia. Hoje, com a diversidade estética no mundo, você pode fazer sucesso com pernas finas, thermatcha. O problema é que no mundo da musculação, pernas finas estão associadas a uma “feiura” estética, um defeito a ser corrigido. O que não é sempre verdade.

Suas pernas fazem parte da sua estrutura corporal. E tentar corrigir sua estrutura corporal além de ser frustrante, pode ser ineficaz e causar bizarrices estéticas, como os homens-sorvete. É comum que alguém que tenha pernas finas tente compensar isso trabalhando muito mais a parte superior do corpo, sem respeitar sua estrutura corporal e a proporcionalidade do corpo, algo que os fisiculturistas sabem serem tão ou mais importante do que o ganho de massa muscular.

Portanto, é mais importante considerar sua estrutura corporal do que as pernas finas em si, na hora de se olhar no espelho. Você pode ser um cara magro, musculoso, e as penas finas complementarem muito bem seu visual.

A questão de saúde das pernas finas

Naturalmente, quem emagrece perderá gordura em várias partes do corpo, inclusive nas pernas. Alguns perdem mais e outros, menos. Se você tiver um bom programa de malhação e acompanhamento profissional, você saberá como malhar as pernas para transformar a massa “gorda” em massa “magra”, ou seja, gorduras em músculos. A velocidade dos resultados irá depender diretamente da sua genética.

Porém, por verem as pernas ficando finas enquanto emagrecem, algo natural nos primeiros meses de malhação, alguns se desesperam. Buscam programas de malhação intensos para pernas, que só irá resultar em desproporcionalidades e até em lesões.

O que você tem que fazer é manter a calma. As pernas vão engrossar e ganhar músculos, se você seguir um programa de treinamento para seu corpo. Você deve respeitar seu tempo e seus limites. Afinal, será muito pior para seu ganho muscular ficar um mês parado por conta de uma lesão do que simplesmente diminuir o ritmo da malhação.

As pernas finas: uma experiência pessoal

Eu sempre tive pernas grossas e ganhar músculos ou massa com as pernas nunca foi um problema. Para mim, o maior problema era escolher roupas que respeitassem minha estrutural corporal. Mas já vi caras que tinham pernas finas malhando e que não faziam nada para “esconder” ou respeitar melhor seus corpos. Eles tinham braços e ombros largos. Alguns, até abusavam dos anabolizantes.

O resultado é que até hoje, tenho um corpo bem proporcional e com uma excelente postura, graças a um trabalho equilibrado para ganho muscular tanto para estética quanto para força. E estes caras, duvido que não tenham sofrido algum tipo de lesão ou problema de saúde.

O que você tem que pensar é: não baseie seus padrões estéticos em um ideal inalcançável. Respeite seus limites. Goste de você mesmo e aprenda a trabalhar com o que você tem. Só assim, você conseguirá realmente ganhar esteticamente e em saúde, independente de pernas finas ou não, thermatcha preço.

Como o café afeta o seu corpo

Ele é totalmente indispensável em escritórios e universidades, principalmente em épocas de entrega de relatórios e finais de semestre. Ou simplesmente de manhã cedinho ou para curar aquela preguiça depois do almoço.

E aí, já adivinhou qual o personagem do artigo dessa semana? Fica à vontade, e enquanto tenta adivinhar…Enquanto isso: “aceita um cafezinho?”. Não que tenha rolado uma leve insistência de certos membros do blog, fãs incondicionais de café para o tema desse artigo. Não, não, não. Isso nunca acontece, não se preocupa!

Bioquímica do café

Mas chega de blá blá blá e vamos logo explicar a bioquímica do café, e olha, acho que você vai se surpreender! Você com certeza já sabe que o café contém cafeína. Cada xícara contém cerca de 80mg dela. Por sinal, ela está presente em vários outros alimentos, como chocolate, chás pretos e refrigerantes.

E você também já deve ter ouvido a cafeína é estimulante. E seria essa a razão pela qual o seu cafezinho te ajuda nas aulas chatas, naquele documento que o seu chefe te pediu, ou simplesmente para te fazer acordar de manhã e quando bate a preguiça de tarde.

Mas isso não é exatamente assim. No fim das contas você se sente mais acordado e com mais energia depois de ingerir cafeína…mas o que o café faz é simplesmente impedir o seu corpo de se sentir cansado. Como assim?

Simples. Os seus neurônios estão em constante atividade. Enquanto você está acordado, eles estão ainda mais ativos e como resultado, eles liberam uma substância chamada adenosina como subproduto. O seu sistema nervoso está constantemente monitorando os níveis de adenosina através de receptores.

E quando as quantidades de adenosina (veja mais) chegam a determinado nível no seu cérebro, ele emite um sinal químico que manda aos poucos seu corpo desligar para descansar. E você começa a ficar mais lento, os bocejos começam e  você quer dormir e descansar. Ok, mas o que a cafeína tem a ver com isso? Bom, ela é um composto produzido por algumas plantas… como o café, por exemplo. Nas plantas, ela tem função de protegê-las contra insetos predadores. Mas no nosso corpo, algo diferente acontece: a adenosina e a cafeína têm estruturas químicas semelhantes, e a cafeína acaba se ligando nos nossos “receptores do cansaço”, confundindo o nosso cérebro.

Esta confusão química gerada pela cafeína faz com que seu cérebro não decodifique os sinais de cansaço… e você continua acordado e ligado. Então, o seu cafezinho é muito mais um farsante do que um energizante, bioquimicamente falando. Mas então café faz mal?

O café em si tem muitos fitonutrientes benéficos para a saúde, e já já vamos falar sobre eles. Mas antes, preste bem atenção nos seus hábitos:

  • Tomar café para virar noites trabalhando e estudando, ou usar ele como combustível imprescindível para conseguir acordar e se manter desperto durante o dia é sim danoso para a sua saúde.

Um estudo realizado por um grupo de pesquisadoras do Departamento de Medicina da Universidade de Chicago, liderado pela cientista Eve Van Cauter demonstra que não dormir o quanto precisamos é um mal cada vez mais comum na nossa sociedade. Na pesquisa, as cientistas provam que é durante o sono que diversos processos essenciais ocorrem,  como a liberação hormonal, regulação de glicose e regulação cardiovascular.

E dormir menos que o necessário estaria associado a uma maior chance de desenvolver diabetes tipo 2, obesidade, problemas cardíacos e uma série de outras doenças. Resumindo, o problema não é o café em si. É usar ele para se manter acordado quando você deveria estar dormindo que é danoso para a sua saúde.

Vários estudos, como os da Universidade Estadual de Oregon e da Bureau of Chemical Safety do Canadá demonstram que ingerir de 3 a 4 cafés pequenos por dia, ou cerca de cerca de 300 miligramas de cafeína, é seguro e apresenta benefícios para a maioria dos adultos saudáveis.

A condição é ter um sono de qualidade e na quantidade necessária. E claro, se seu médico não restringiu seu consumo de cafeína por alguma condição de saúde como pressão alta, por exemplo. Outros grupos que devem ficar atentos ao consumo de cafeína são grávidas, crianças, idosos e pessoas com hipersensibilidade à substância.

Fora desses grupos, o café tem diversos benefícios! Contém mais antioxidantes que muitas frutas, contém nutrientes essenciais como vitamina B5 e B12, Manganês, Potássio e Magnésio. Além de muitos estudos indicarem sua correlação com a diminuição do risco de diabetes tipo 2 e diminuição de risco de Alzheimer e Parkinson.

Em 2011, um estudo da Universidade de Harvard mostrou que as pessoas que bebiam cerca de 4 xícaras de café por dia tinham 20% menos chances de desenvolver depressão. Não exagerando na dose, e mantendo um ciclo de sono saudável de sono o café é de fato uma bebida muito interessante para a sua saúde!

Café com ou sem açúcar?

Fitness super fã de café? Não coloque açúcar, se quiser adoçar prefira adoçantes naturais como a stévia. Evite cremes doces e gordurosos,  como chantily. O ideal para preservar as propriedades do café é moer os grãos na hora, assim as substâncias contidas nele não oxidam, mas se você não tiver moedor de café ou não encontrar café em grãos, comprar um pó de qualidade (e de preferência orgânico) já é excelente!

E aí, você também ama café? Então deixa aí nos comentários seu jeito e hora preferidos para um bom cafezinho.

Veja como seu corpo se comporta quando você toma café

Você imagina o que acontece com seu corpo quando você acaba de tomar café? Não? Então confira: